Identidades Fantasmáticas

2006-2007

As fotografias da série de retratos intituladas “Identidades Fantasmáticas” surgiram durante o ano de 2007 e vem sendo pesquisadas e produzidas desde então. O que este trabalho abrange são retratos de ‘seres’ que estão entre e a realidade e o imaginário. Não são ‘seres fantásticos’, mas sim que fazem o observador fantasiar e imaginar como eles realmente são e as ações.

“Identidades Fantasmáticas” é um projeto que retoma, num primeiro momento, algumas questões relacionadas à história da fotografia, quando se tinha o retrato como principal função estética desta técnica. As poses, a iluminação e a pictorialiedade[1] imanente que as fotografias da metade do século XIX detinham em si. Ao mesmo tempo, este trabalho também apresenta algumas questões ligadas a performance, pois são fotografias constituídas por atos dirigidos por algumas pessoas ao qual, através de convite pessoal, colocam-se num estúdio fotográfico para o ensaio, neste ambiente, onde o simulacro e a teatralidade são, por vezes, fatores determinantes (mas não dominantes).

A imagem produzida desta maneira com uma pessoa, nos deixa com certa sensação de instabilidade, pois todo o objeto retratado esta desfocado em níveis diferentes. Nos termos técnicos, a distância focal, em conjunto com a profundidade de campo, não proporciona fisicamente estes desfocamentos entre os planos que estão quase na mesma distância. Este efeito demonstrado nesta série só se pode ser obtido com uma câmera de grande formato, com uma lente onde o diafragma possui uma grande abertura. Mesmo assim, ainda é extremamente difícil alcançar os mesmo resultados obtidos.

A desfocalização causada por uma simples folha de papel vegetal[2] entre o objeto e a câmera fotográfica torna a identificação possível apenas por estes mesmos gestos, assim como pelo vestuário, pelo jogo de luz e sombra e pelo título, como única forma tangível de chegar o mais próximo possível de identificar a pessoa.


[1] Referindo ao termo ‘pictorialiedade’, uma fonte de referência é o ‘pictorialismo fotográfico’ da virada do século XIX que perdurou até a segunda década do século XX, uma forma de manifestação da imagem que a fotografia buscou se aproximar da pintura e seus modos de representação.

[2] Num sentido, de uma forma mais “livre” na interpretação deste trabalho, este talvez pudesse também percorrer o campo da gravura, pois se trata de uma imagem, determinada por uma impressão através do papel (como material de primeira instância na constituição das fotografias)

s/ título (da série fantasmáticas") / Fotografia Colorida - C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas”) / Fotografia Colorida – C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas") / Fotografia Colorida - C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas”) / Fotografia Colorida – C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas") / Fotografia Colorida - C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas”) / Fotografia Colorida – C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas") / Fotografia Colorida - C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas”) / Fotografia Colorida – C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas") / Fotografia Colorida - C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas”) / Fotografia Colorida – C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas") / Fotografia Colorida - C-Print / 2006

s/ título (da série fantasmáticas”) / Fotografia Colorida – C-Print / 2006

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s